Exegeses bíblicas e seus frutos

24/03/2021 15:01

            N'O evangelho segundo o espiritismo, Allan Kardec classifica em três as revelações divinas: a primeira foi recebida por Moisés e está sintetizada nos Dez Mandamentos, que Jesus resumiu em dois: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos; a segunda revelação é a Boa Nova de Jesus, relatada pelos quatro evangelistas; a terceira é a Doutrina dos Espíritos ou Espiritismo cristão.

            Os exegetas da Bíblia costumam identificar, nessa obra sagrada, informações muito importantes para a cultura cristã, como as seguintes:

- a Bíblia protestante tem 66 livros;

- a Bíblia católica tem 72 livros;

- o menor capítulo é o salmo 117, que louva a Deus, "pois o seu amor é forte e sua verdade é para sempre";

- o maior capítulo é o salmo 119 (com 176 versículos) em cerca de oito páginas e meia da Bíblia de Jerusalém;

- o capítulo central da Bíblia é o salmo 118;

- o versículo central é o de número 8 desse mesmo salmo: "É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem." (Bíblia de João Ferreira de Almeida);

- os evangelhos estão dispostos nesta sequência: Mateus, Marcos, Lucas e João, mas exegetas bíblicos concluíram que o primeiro Evangelho é o de Marcos; Mateus e Lucas o ampliaram; João escreveu seu evangelho com avançada idade;

O menor evangelho é o de Marcos, com apenas 16 capítulos; o maior é o de Mateus, com 28. O evangelho de João contém 21 capítulos e o de Lucas, 24. 

            Tudo isso e muito mais é bastante interessante, como base cultural sobre as Escrituras Sagradas; entretanto, mesmo o conhecimento dos ensinos morais, acrescido a isso, se não for secundado pelas boas obras, de nada nos adiantará, como já dissera Paulo, no capítulo 13 da I epístola aos coríntios, que começa com estes versículos: "1 Ainda que eu falasse línguas, as dos homens e as dos anjos, se eu não tivesse a caridade, seria como bronze que soa ou como címbalo que tine"; e "2 Ainda que tivesse o dom da profecia, o conhecimento de todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tivesse a caridade, nada seria". E prossegue, nesse seu verdadeiro poema epistolar, que só se encerra neste versículo: "13 Agora, portanto, permanecem fé, esperança, caridade, essas três coisas. A maior delas, porém, é a caridade". (BÍBLIA DE JERUSALÉM, 2004, p. 2009- 2010).

            Algumas pessoas, porém, embora se emocionem com tais salmos e versículos, como ocorre com outros, da Bíblia, não os aplicam, senão como recomendação do comportamento alheio e não do seu. Por esse motivo, concluímos que muito mais importante do que conhecer o modo como é estruturada a Bíblia é vivenciar seus ensinamentos na prática, como já nos propunha Paulo e o Espiritismo ratifica com a máxima: "Fora da caridade não há salvação!"

 

            Leia também as informações do amigo Astolfo, culto pesquisador espírita, no link abaixo: https://www.oconsolador.com.br/ano5/238/oespiritismoresponde.html

 

            Acrescenta ainda o professor Astolfo a seguinte informação:

            Em contraste com o informado pelos exegetas bíblicos, de que o evangelho segundo Marcos foi o primeiro, e o de Mateus apenas o complementou,  informa o Espírito Emmanuel, na obra Paulo e Estêvão, que João Marcos era ainda adolescente quando Gamaliel deu a Paulo os pergaminhos de Levi (Mateus). Segundo relatado na obra, esses escritos eram copiados por todos os cristãos convertidos, graças ao trabalho que Paulo e Barnabé, o tio de João Marcos, realizaram entre os chamados gentios.

            Estas informações são oportunas, para que o amigo  leitor possa entender como Paulo pôde conhecer tão bem os ensinamentos de Jesus quando o evangelho de Marcos nem mesmo existia. É que, obviamente, ele leu os escritos de Mateus.

            Sugiro ao leitor e leitora que leiam a obra-prima citada: Paulo e Estêvão, psicografada por Chico Xavier.

 

Espiritualidade e PolíticaEspiritualidade → Crônicas Espíritas Exegeses bíblicas e seus frutos