Jesus e o Evangelho

01/09/2021 14:32

        No primeiro capítulo d'O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec cita esta frase de Jesus: "Não vim destruir a Lei ou os profetas; não os vim destruir, mas cumpri-los: porque, em verdade vos digo que o Céu e a Terra não passarão, sem que tudo o que se acha na Lei esteja perfeitamente cumprido." (Mateus, 5:17 e 18).

        Destaquei Lei e Céu com iniciais maiúsculas, embora a tradução da Federação Espírita Brasileira não os tenha destacado. O motivo é que a "Lei" a que Jesus se refere é a lei de Deus; e o Céu, em oposição a Terra, é todo o Universo, no entendimento que desejo dar a esta crônica.

        A Lei que o Cristo não veio destruir é, portanto, aquela emanada de sua vontade e poder: a Lei de justiça, amor e caridade. É a lei expressa nos Dez Mandamentos, que Jesus sintetizou em uma: Amor, haja vista que amar a Deus e ao próximo é cumprir sua Lei.

        Essa é a Lei que Jesus veio cumprir, quando nos recomenda amar os inimigos e fazer o bem aos que nos perseguem e caluniam. Estaria ele pregando a impunidade? Certamente que não, pois esse é um preceito individual, sintetizado no amor que devemos ter ao próximo, ainda que ele nos cause muito mal, uma vez que a bondade de Deus se expressa nessa outra norma: "a cada um será dado segundo suas obras".

        Se retribuímos o mal com bem, estamos exercitando o amor em sua plenitude, o que não isenta aquele que nos maltratou das consequências de seu ato, pois se temos livre-arbítrio é para que exercitemos a vontade. Tanto para o bem, quanto para o mal. Isso, portanto, vincula nossos atos à lei geral que existe no Universo, que é a lei divina ou natural (cap. 1 do livro terceiro d'O Livro dos Espíritos).

        Os profetas vieram anunciar, entre entendimentos seus adaptados ao estágio geral da Humanidade de seu tempo, essa lei divina ou natural, como também a vinda ao mundo do modelo dado por Deus a nós para nos servir de guia: Jesus.

        Estudemos O Evangelho Segundo o Espiritismo. Nele, a essência dos ensinamentos de Jesus Cristo, ou seja, sua moral, está claramente desenvolvida pelos novos profetas: os Espíritos superiores que, sob a direção do Espírito de Verdade, porta-voz de Jesus, nos preparam para o conhecimento pleno de suas palavras, ele que é o Caminho, a Verdade e a Vida. Dessa forma, estaremos inabaláveis em nossa fé e confiança de que nossa transformação moral muito contribuirá com a melhoria do mundo.

 

Espiritualidade e PolíticaEspiritualidade → Crônicas Espíritas Jesus e o Evangelho