Leia mais, para ver, ouvir e falar melhor

16/01/2019 00:06

            Em nosso país, lê-se pouco, volto a essa antiga toada pois a boa leitura dá o brilho das estrelas aos olhos, repercute os sons do universo nos ouvidos e põe favos de mel no lábios do leitor. Segundo estatística da TV Brasil, no programa de 4 fev. 2016 intitulado Arte da Leitura, a média de livros lidos anualmente, no Brasil, é de quatro livros. Na Argentina, a média é de cinco livros, e na Espanha e Portugal é de dez... Algumas razões para a pouca leitura: falta de compreensão do que se lê e preço alto da obra literária.

            São louváveis, as iniciativas particulares para o incentivo à leitura em nosso país. Em São Paulo, o gaúcho Robson Mendonça criou a Bicicloteca, uma bicicleta que transporta um armário carregado de livros, cuja leitura é proporcionada gratuitamente, desde a criança ao adulto.

            Outro cidadão que, voluntariamente, oferece livros para a leitura, na Rua dos Romeiros e no Largo do Bicão, na Penha, Rio de Janeiro, é Evandro dos Santos, que aprendeu a ler aos dezoito anos e faz questão de tentar ajudar todo o mundo a desenvolver o prazer da leitura. Percebeu, nosso amigo, uma coisa: quando se trata de revista em quadrinho, o famoso gibi, o interesse é grande. Certo dia, deixou em uma caixa pública dezoito gibis, pela manhã. Ao meio-dia, quando lá voltou, não havia uma só revista.

            Evandro foi o criador da Biblioteca Comunitária Tobias Barreto, no Rio de Janeiro, que atualmente possui um acervo de 17.000 obras. Ele repete a frase, de autoria desconhecida, que “O livro deve ser sentido, cheirado, aberto e lido”.

            Uma reportagem muito boa, sobre o assunto, foi a do programa transmitido pela TV Brasil foi com a menina Kaciane Marques, a qual criou uma biblioteca em cômodo externo de sua própria casa, com acesso direto aos leitores interessados. Sua mãe a ajuda a manter a biblioteca e os registros de empréstimos em ordem. Quando a devolução demora mais de dez dias, a menina pede à mãe para ligar cobrando a devolução da obra ou prorrogando o tempo do empréstimo. Sua biblioteca contém 4.000 livros dos mais variados gêneros literários e gibis.

            Kaciane foi estimulada a ler, na 2ª série do ensino fundamental por sua professora Cristina Augusta, que propõe a seus alunos escolher um livro do seu agrado e anotar, num bloco de papel, dados básicos sobre a obra, tais como nome do autor, título do livro, nome da editora, número e ano de edição, além de um pequeno resumo da obra lida. Diz a professora que, no dia seguinte ao empréstimo do primeiro livro à Kaciane, esta devolveu o livro encantada com sua história e já pediu outro. O prazo de leitura é de uma semana. Atualmente, em seu caderno de anotações de leitura, a menina já anotou a leitura de cerca de 500 obras. E ela não parece ter mais do que dez anos...

            Diz a professora, encantada com a principal leitora de sua escola, que “a leitura é tudo na vida do ser humano”. Pura verdade. Machado de Assis conheceu o mundo sem sair do Rio de Janeiro, apenas lendo, do Gabinete Português de Leitura, obras de grandes escritores e poetas d’além-mar, como Charles Dickens, Victor Hugo, Alexandre Herculano, Almeida Garrett, Rousseau, Byron, Musset, H. Sterne, Stendhal, a bíblia e obras de literatura greco-romana, esotérica e espírita. Esta última foi um rico filão para minhas produções literárias.

            Por fim, cito Lucas Rafael que, em Brasília, criou o projeto “Refresque suas ideias”, o qual se trata de geladeira grafitada com diversos tipos de obras, inclusive gibis, que o interessado pode pegar sem a obrigação de devolver, embora a devolução seja sempre bem-vinda, além de doações de obras para seu projeto. Diz Rafael que sua paixão pela leitura começou na infância e ele espera despertar em outras pessoas, de qualquer idade, o gosto pela leitura. Ainda temos, na Capital, disponibilidade de livros nos pontos de ônibus e um açougue literário, criação de uma biblioteca para empréstimos, que se situa dentro de um açougue, em Brasília.

            Que livro estou lendo atualmente? Sem contar as obras da Federação Espírita Brasileira, que encantam qualquer leitor ávido por notícias daqui e do além, já adentrei o terceiro capítulo do best-seller internacional Sapiens, uma breve história da humanidade, do doutor em história Yuval Noah Harari, que, desde seu lançamento, de janeiro a novembro de 2015 já teve oito edições. Presente do dr. Plotino. O resto são teorias e mais teorias literárias. Ufa!

 

Ciência Política / Espíritualidade e Política → Crônicas Sociais → Leia mais, para ver, ouvir e falar melhor