Luz do Mundo e Luz no Mundo

20/11/2019 14:20

            Lemos em Mateus, 4:1 a 11, que Jesus foi conduzido ao deserto, em Espírito, para ser tentado pelo diabo. Após quarenta dias ali, em jejum, teve fome. O diabo, que nada mais é do que um Espírito das trevas, cuja maldade associa-se à inteligência pervertida, chegou-se ao Cristo e desafiou-o: — Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.

            Respondeu-lhe Jesus: — Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.

            Então, o tentador o transportou à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo e disse-lhe: — Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; pois está escrito que aos seus anjos Ele ordenará a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em pedra alguma.

            Respondeu-lhe Jesus: — Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus.

            Por fim, após ser de novo transportado a um monte muito alto e lhe terem sido mostrados todos os reinos do mundo e sua glória, o maligno propôs-lhe: — Todos os reinos do mundo serão teus, se prostrado me adorares.

            Então, disse-lhe Jesus: — Vai-te Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele servirás.

            O diabo, então, afastou-se, e os anjos vieram e serviram a Jesus.

            Essa narrativa expressa um profundo simbolismo, que serve de alerta a todas as pessoas que se propõem estudar e divulgar o Cristianismo, assim como a nós, os espíritas cristãos. É que não basta conhecer o Evangelho, pregar a Boa-Nova, emocionar os corações com nossa cultura exegética. É preciso renunciar aos aplausos e às ilusões do mundo, tomar sobre nós a cruz de nossas expiações e provas e seguir os exemplos do Cristo, passo a passo, se quisermos vencer as tentações do diabo: poder, riqueza e glórias efêmeras do mundo.

            Registra, ainda, Mateus, 5:14, que Jesus, dirigindo-se a seus discípulos, disse-lhes: “Sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte”. Logo adiante, no versículo 16, o Cristo completa: “Assim, resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai, que está nos céus”.

            Explica-nos o Espírito Emmanuel que, após mais de vinte séculos passados, as bases fundadas pelo sacrifício dos mártires do Cristianismo foram substituídas, no passar dos séculos, “pela ambição de domínio”.

 

E o resultado da grande incompreensão é presentemente vivido pela vossa época de supremas angústias.

Será, talvez, ociosa a vós outros nossa insistência no exame da civilização em curso, falha de valores espirituais. Acresce notar, porém, que o nosso esforço deve caracterizar-se pelo trabalho de encaminhar a luz divina ao vosso entendimento.

O mundo, na atualidade, experimenta transições angustiosas e rudes. Para a culminância da luta deste crepúsculo de civilização, as corridas armamentistas, no planeta, custam às nações fabulosas fortunas por dia, ignorando-se, na estatística exata, os elementos despendidos na educação do povo e na assistência às massas. No entanto, os políticos, os falsos sacerdotes e todos os cientistas da Terra enganam-se em suas ingratas cogitações.

A direção do orbe pertence a Jesus, cuja mão divina permanece no leme, apesar da escuridão da noite e não obstante a força destruidora da procela.

Os grandes gênios da Espiritualidade Superior reúnem-se no Infinito, examinando o curso dos humanos destinos, e, enquanto lembrais, em vossa assembleia humilde, o vulto luminoso da cruz, prepara-se no ilimitado um novo dia para o conhecimento terrestre.

O Cristianismo marcou uma era diferente e os séculos futuros viverão à claridade de uma outra luz que, em breve, raiará nos horizontes da Terra, para o coração aflito e sofredor da humanidade (XAVIER, F. C. Coletânea do Além, lição 52, O Evangelho).

 

         Trabalhemos, unidos, sem outro propósito que não seja o de amar e servir, humildemente, a todos os nossos irmãos em humanidade. A começar pelos do nosso lar, do nosso trabalho, da via pública, das casas comerciais... em toda parte. Exercitemos a humildade e o desinteresse, a abnegação e o devotamento até o fim, incansavelmente, pois o Cristo virá até nós, se nos dispusermos a ir até Ele. E, resistindo às tentações do mal, como nos foi narrado por Mateus, orando e vigiando, as trevas não prevalecerão jamais sobre a luz que haverá de brilhar em nossos corações e mentes.

         Jesus é a luz do Mundo. Que sejamos os representantes fiéis de sua luz no Mundo.

Espiritualidade e PolíticaEspiritualidade → Crônicas Espíritas Luz do Mundo e Luz no Mundo