O Livro Espírita

20/07/2022 19:44

               Amigo leitor, conforme já lhe disse, há algum tempo, à noite, costumo encontrar-me com alguns amigos espirituais. Na última noite, vi-me sentado num banco da Federação Espírita Brasileira, em sua sede de Brasília. O ano era 1989, e o palestrante era o nobre espírito André Luís. O tema da noite intitulava-se  Ante o livro espírita[1].

            Após a prece inicial do Sr. João de Jesus Moutinho, diretor à época que presidia a reunião, a palavra foi passada a André, que iniciou dizendo:

 

Melhore suas aquisições, buscando algo novo. Mas compre o livro espírita, que lhe indicará o caminho para mais alta renovação.

Ampare a escola que alfabetiza. Mas sustente o livro espírita que educa.

Consulte o noticiário, com respeito aos sucessos do mundo. Mas ouça o livro espírita, a fim de erguer-se a horizontes mais vastos.

Compareça às obras de socialização e progresso. Mas ajude o livro espírita na consolidação da verdadeira fraternidade.

Brinde o companheiro com a novidade do dia. Mas dê-lhe o livro espírita, que é valor para toda hora.

Aconselhe a utilização dos produtos que favoreçam a saúde e o asseio do corpo. Mas divulgue o livro espírita, que mantém o equilíbrio e a higiene da alma.

Observe o cinema, o rádio, a televisão e as outras formas da arte, buscando conhecer. Mas atenda ao livro espírita, que ensina a discernir.

Prestigie os métodos da lavoura e as técnicas da indústria, o comércio e as obras coletivas, tanto quanto os outros campos de ação e produção. Mas estimule o livro espírita, que ilumina o trabalho.

Socorra esse ou aquele irmão caído, entre as sombras da prova. Mas ofereça-lhe o livro espírita, que aclara o entendimento.

Enriqueça o ambiente próprio com fatores de conforto e alegria. Mas recorde que o livro espírita é bênção de Jesus, aprimorando a vida com você e em você.

            Em seguida, André comentou cada uma das frases anteriores, começando por esta: Ampare a escola que alfabetiza. Mas sustente o livro espírita que educa.

            “A escola é o sagrado instituto que nos faz conhecer, desde as primeiras letras, até os notáveis inventos criados pelos homens e mulheres de gênio. Isso nos ensinam aqueles que fazem da instrução um verdadeiro sacerdócio. Entretanto, é preciso que a família se ocupe de sua missão educativa, a fim de que nossas más tendências como orgulho, vaidade, impiedade, ódio... não se desviem, na prática, da finalidade do conhecimento, que é a promoção do bem de todos. Nesse sentido, e também para que haja harmonia, paz e contentamento no lar, sugerimos a reunião do casal, junto à prole, quando houver, do que se convencionou chamar de culto do evangelho no lar, durante meia hora por dia, no final das atividades profissionais. Sugiro também que a obra básica para esses estudos seja O Evangelho Segundo o Espiritismo, cuja leitura deve ser sequencial e complementada por outras obras do chamado pentateuco Kardequiano, que começa pel’O Livro dos Espíritos.”

            Após repetir e comentar cada uma das frases iniciais, Luís dissertou sobre a última: Enriqueça o ambiente próprio com fatores de conforto e alegria. Mas recorde que o livro espírita é bênção de Jesus, aprimorando a vida com você e em você.

            “O conhecimento, mormente o que nos proporciona a ascensão profissional, com melhoria das condições de vida e momentos felizes, é da mais alta importância em cada nova etapa reencarnatória. Não nos devemos esquecer, todavia, de que o livro espírita lido, sentido, refletido e praticado, no dia a dia, é uma bênção do Cristo incomparável, pelas luzes trazidas por ele para sempre. Examinemos todas as boas obras espíritas que pudermos, mas comecemos por Kardec à luz do Evangelho de Jesus. E, como recomenda-nos Paulo de Tarso: ‘retenhamos o bem’, imitando Jesus Cristo, nosso guia e modelo, bem como Allan Kardec, ‘o bom senso encarnado’, conforme sobre este afirmou Camille Flammarion.”

            Acordei de olhos lacrimosos, ouvindo a despedida do bondoso espírito André Luís, acompanhado por um belíssimo coro musical do mais além: “Sigamos com Jesus em todos os passos de nossa jornada evolutiva. Paz e luz!”

            Ao seu lado, ainda me lembro de ter visto João de Jesus Moutinho, que orava e chorava comovido.



[1] André Luiz (espírito). Ante o livro espírita. Psicografado por Chico Xavier. Fonte: O Espírita Mineiro, número 210, julho/outubro de 1989.


 

Espiritualidade e PolíticaEspiritualidade → Crônicas Espíritas O Livro Espírita