Sexualidade atormentada...

11/03/2020 08:13

            Segundo o Espírito Philomeno de Miranda, a "desmistificação" das funções sexuais, pelos "estudiosos da sexologia",  é a causa de muitas perturbações... A "liberação sexual, exagerando as suas licenças morais, vem trazendo transtornos graves e desarmonias profundas" às criaturas humanas.

            Miranda inicia seu relato com o drama de um jovem sacerdote, mas antes alerta-nos de que

 

O sexo, mal conduzido, em razão do envolvimento emocional e das dilacerações espirituais que produz em outrem, como naquele que o utiliza mal, abre campo para terríveis conúbios obsessivos [...][i].

 

          O padre Mauro, com aproximadamente trinta anos de idade, lutava tenazmente "contra as tendências infelizes do passado". Além de combater as próprias inclinações inferiores, ainda recebia as influências espirituais de um obsessor pertinaz.

            Mauro assumiu o sacerdócio sem possuir inclinação para suas funções. Julgava que, tornando-se seminarista, conseguiria dominar suas fortes tendências sexuais aberrantes.

         Após ordenar-se sacerdote, esforçou-se, no início, em exercer com dignidade seu ministério. Com o tempo, porém, influenciado por diversas mídias, como a TV, além do obsessor, foi dominado pelos desejos lascivos, em especial os da pedofilia, que passou a cultivar.

         Em existência passada, Mauro fora jesuíta e atuara cruelmente em organização religiosa, cujo objetivo principal era evangelizar os indígenas. Entretanto, ao invés disso, ele cometera diversos crimes contra silvícolas e pessoas consideradas inimigas da Igreja. Agora, sofria as consequências espirituais de seu passado criminoso.

         Ao dormir, Mauro era constantemente atraído para locais vergonhosos, nos quais havia todos os tipos de aberrações morais, tais como sexo em grupo, pedofilia, homossexualidade e bestialismo. Cansado desse comportamento, e sob a intercessão do Espírito de sua mãe, o padre buscara na oração o socorro para sua alma atormentada. Dirigia o grupo socorrista, do qual participava Miranda, o Espírito Anacleto.

         O obsessor que perseguia o padre, em sua existência atual, zombava dele, quando o via orar. Philomeno registrou o momento em que aquele Espírito dizia a Mauro, antes de arrastá-lo para um antro de perturbação espiritual, na área do sexo, durante o sono: "Por que buscas Deus, miserável? [...] Quanto cinismo!".

         Sob a influência desse Espírito e da própria alma desajustada moralmente, Mauro seguiria em seu desvairamento moral. Surpreendido pela diretora de escola tentando praticar sexo com um menino de cerca de oito anos, também obsidiado, precisou ser amparado espiritualmente para não se suicidar (op. cit., p. 61).

            Como atenuante à sua conduta, estava o passado, em que o próprio pai o violentara sexualmente, quando Mauro tinha a idade do menino que ele quase vitimara. Entretanto, sob a assistência espiritual da mãe desencarnada, foi-lhe recomendado esforçar-se na prática da caridade, a fim de se libertar do seu desequilíbrio sexual.

            Submetido a uma regressão de memória, após dormir, Mauro conheceu todo o seu passado sombrio. O obsessor do padre fora prejudicado por este naquele triste passado. Agora, comprazia-se em arrastar o antigo algoz para os desvios da sexualidade, em especial na pedofilia. Entretanto, o obsessor foi doutrinado no plano espiritual, ainda que contra sua vontade, e afastado, pois, como explicou Anacleto, o livre-arbítrio é uma concessão que nos é feita por Deus com "caráter relativo".

            A solução para a atitude de Mauro, orientada espiritualmente à diretora da escola, foi transferi-lo... Com isso, era-lhe dada oportunidade de se regenerar e mudar de atitudes. Ciente de que todos os acontecimentos, desde a violência sexual praticada pelo pai, na infância, até sua inclinação à pedofilia, resultavam de seus comprometimentos na existência passada, o jovem padre agora recebia a oportunidade de um recomeço...

            Toda a assistência prestada ao padre Mauro iniciara com a proteção do Espírito que fora sua mãe na atual existência, como também por seu arrependimento e oração, ainda que estivesse sob a influência negativa de Espírito obsessor, a quem prejudicara outrora. Mauro ainda  passaria momentos difíceis, mas a mãe jamais o abandonaria. Em vista disso, diz Miranda: "Pude então refletir que, enquanto houver mães no mundo, o amor de Nosso Pai estará refletido nos seus atos de extrema abnegação e renúncia" (op. cit., p. 243).

            É que o sentimento feminino das mulheres, que no último domingo, 8 de março, teve seu dia comemorado, reflete o Amor Divino a nós, seus filhos réprobos, jamais desistindo de nos elevar das trevas para a luz.

            Concluo com a frase erroneamente atribuída a Chico Xavier: "Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim"[ii].



[i] MIRANDA, Manoel Philomeno (Espírito). Sexo e Obsessão. Psicografia de Divaldo Pereira Franco. Salvador, BA: Livr. Espírita Alvorada, 2002, p. 12.

[ii] HAMMED (Espírito). Um modo de entender: uma nova forma de viver. Psicografia de Francisco do Espírito Santo. Catanduva, SP: Boa Nova, 2004.

 

Espiritualidade e PolíticaEspiritualidade → Crônicas Espíritas Sexualidade atormentada...