Superconsciente

22/10/2020 11:01

            O superconsciente é a zona do espírito, a zona das “experiências em formação, novas, incertas, instáveis, mas audazes, elevadas, complexas, desenvolvidas, representando [...] o novo patrimônio em vias de aquisição” (UBALDI, ANCTM, p. 376), representando o futuro, a continuidade da evolução daquilo que já foi conseguido, alcançado.

            Além da zona lúcida do consciente e da zona obscura do subconsciente está o superconsciente, onde tudo são expectativas e onde o eu se prepara para o amanhã: “fase possuída apenas como pressentimento e contida, em germe, nas causas que atuam no presente, de que ele representa o desenvolvimento” (UBALDI, AGS, p. 310).

            É nesta zona que os gênios buscam a inspiração, onde ocorre o pressentimento das verdades sublimes, como em lampejos de jatos luminosos. Uma zona que, considerada em relação com a consciência de superfície, “se estende em profundida­de, nas zonas interiores, avança para Deus e tende para a unificação com o todo, a que se chega pois, por introspecção” (UBALDI, AM, p. 100).

            Deste ponto de vista, o eu evolui para o interior, afastando-se do subconsciente e em direção ao superconsciente, cada um feito de valores distintos: “o primeiro é um resíduo, o segundo, uma con­quista; o primeiro é uma zona inferior, de que nos distanciamos, e uma escória que abandonamos; o se­gundo é uma zona superior, de que nos aproxima­mos” (UBALDI, AM, p. 100). No superconsciente não estão os conteúdos remanescentes da vida, mas o seu futuro.

A passagem do subconsciente ao superconsci­ente é uma expansão para o interior, se assim pode­mos expressar-nos, uma expansão em profundidade, em que o ser, aprofundando-se para o centro, se eleva aos planos mais altos que lhe são a aproximação. Nesse caminho, o eu é como um núcleo que se enri­quece, dilatando por estratificações suas potencialidades, através das experiências da vida, que são exa­tamente o agente revelador daquele mistério íntimo em cuja profundeza está Deus (manifestação). Assim, esse mistério é continuamente exteriorizado naquele plano de consciência lúcida que, como se vê, e uma consciência de trabalho e de transição, em marcha do subconsciente ao superconsciente, cuja posição é portanto relativa, assaz diversa de indivíduo para indivíduo, segundo sua história e sua maturidade evolutiva (UBALDI, AM, p. 102).

            Por um lado, o subconsciente se dirige para o exterior da superfície e, por outro, em direção oposta, caminha o superconsciente. Não apenas em direção oposta mas também de vibração bem diversa o que, por isso, explica a luta que se estabelece no interior de cada indivíduo, luta entre diferentes impulsos.

            São por demais conhecidas essas tempestades íntimas. Porém, especialmente no evoluí­do, de superconsciente mais desenvolvido, se desencadeia com mais violência a guerra entre o superconsciente e o sub­consciente, entre o passado e o futuro e ao contrário, entre es­pírito e matéria; entre os dois extremos da evolução que se batem pela posse da consciência, como campo de realizações (UBALDI, ANCTM, p. 384).

 

Pietro Ubaldi  A psicanálise evolucionista e espiritualista de Pietro Ubaldi → Superconsciente