Práticas integrativas e complementares no SUS: os benefícios do Yoga e da Meditação para a saúde do corpo e da alma

ARTIGO PUBLICADO NA REVISTA CORRELATIO

Portal Metodista de Periódicos Científicos e Acadêmicos

por Alexsandro M. Medeiros

lattes.cnpq.br/6947356140810110

Resumo

Em 2017 o Ministério da Saúde aprovou duas portarias, a saber, a portaria n. 145, de 11 de janeiro e a portaria n. 849 do mês de março, fortalecendo o marco legal da Política Nacional das Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde, ampliando significativamente a PNPIC incluindo práticas como a arteterapia, meditação, musicoterapia, reiki, yoga e muitas outras. Este artigo propõe, portanto, uma reflexão sobre tais práticas, limitando-se, todavia, à análise de técnicas como o yoga e a meditação. Três fatores foram levados em consideração na escolha destas duas práticas: a impossibilidade de analisar todas as práticas reconhecidas pela PNPIC no espaço de um artigo; a ampla quantidade de estudos já existentes reconhecendo a eficácia terapêutica de ambas; e sua fundamentação, religiosa e espiritual, que nos permite discutir as complexas relações entre o fenômeno religioso e a formulação de políticas públicas na área da saúde. Como metodologia utilizou-se a pesquisa bibliográfica, a partir de um amplo referencial teórico sobre a temática escolhida. Conclui-se que tanto o yoga quanto a meditação podem oferecer aos pacientes do Sistema Único de Saúde brasileiro uma  vivência com o sagrado que conduz a união entre o Corpo, a Mente, a Alma, e entre a Alma e Deus, através de uma busca da nossa essência espiritual, além de possuírem eficácia terapêutica comprovada para a saúde do corpo e a saúde da alma.

Palavras-chave: Yoga; Meditação; Saúde.

Acesse o site da Revista Correlatio para ter acesso ao ARTIGO COMPLETO.

Ciência PolíticaPolíticas Públicas de SaúdePráticas Integrativas e Complementares → Práticas integrativas e complementares no SUS: os benefícios do Yoga e da Meditação para a saúde do corpo e da alma