Centro de Arte Popular CEMIG

Centro de Arte Popular CEMIG

por Alexsandro M. Medeiros

lattes.cnpq.br/6947356140810110

postado em ago. 2018

O Centro de Arte Popular Cemig, inaugurado em março de 2012 e a poucos metros da Praça da Liberdade, funciona em um espaço privilegiado de divulgação e apreciação da arte popular de todo o Estado de Minas Gerais, perpassando linguagens como escultura, pintura e desenho, entre muitas outras, valorizando o trabalho dos artistas que traduzem no barro, na madeira e em outros materiais, o universo em que vivem. O espaço faz parte do Circuito Cultural Praça da Liberdade.

O acervo do museu conta com centenas de peças entre criações que remetem a pinturas rupestres e outras que dialogam com os grafites urbanos. O edifício dispõe de quatro salas de exposições de longa duração, auditório multiuso, café, loja, centro de informação, além de um ambiente reservado a mostras temporárias.

Pinturas Rupestres do Vale do Rio Peruaçu, no norte do Estado: “são testemunhos das primeiras formas de expressão humana em território mineiro. Compõem painéis impressionantes em paredões rochosos desse que é um dos mais importantes sítios arqueológicos do mundo, datado de 12 mil anos” (Fonte: Centro de Arte Popular CEMIG. Imagem: Arquivo pessoal).

Um dos grandes destaques do museu é a Sala Grandes Mestres. Neste único espaço, estão reunidos grandes nomes da arte popular de Minas Gerais, como GTO, Artur Pereira, Zefa, Zezinha, Placedina, Ulisses Pereira, Isabel Mendes e Noemiza. O público pode conhecer obras de artistas de várias regiões do Estado como Vale do Jequitinhonha, Cachoeira do Brumado, Divinópolis, Prados, Ouro Preto e Sabará, entre outras, fornecendo uma dimensão ampla da cultura mineira.

Na Sala Grandes Mestres temos impressionantes mandalas formadas por figuras humanas do escultor Geraldo Teles de Oliveira, o GTO, nascido em Itapecerica. Nesta mesma sala está representado o rico artesanato do Vale do Jequitinhonha, com noivas, noivos e cenas que representam o cotidiano.

Na sala sobre arte religiosa, temos a arte da cantaria – a “arte de fazer a pedra cantar”. São pedras como obras de arte em altares de igrejas, pontes, chafarizes, fontes e várias outras formas. Tem também oratórios, imagens, ex-votos, presépios e representação de tapetes de serragens, comuns em festividades de Semana Santa e Corpus Christi.

Oratório. Autor Desconhecido. Madeira. 30 x 123 x 142cm. Origem desconhecida. Coleção Angela Gutierrez. (Fonte: Centro de Arte Popular CEMIG. Imagem: Arquivo pessoal).

Arte em tecidos também está representada em lindíssimas colchas e redes. A arte usada como ofício também está lá, em formas de queijo e tachos


Disponível em: Dicas de Monumentos. Acesso em 25/08/2018

Visite o Site: https://www.centrodeartepopular.mg.gov.br

 

Ciência PolíticaPolíticas PúblicasPolíticas Públicas de Cultura → Cultura Popular → Centro de Arte Popular CEMIG