Ética e Espírito Esportivo: a prática esportiva para além do respeito às regras

Ética e Espírito Esportivo: a prática esportiva para além do respeito às regras

por Elana Thaís Reis Tavares,

Larissa de Souza Monsalve

& Roberta Marjorie

postado em jun. 2019

A ética se constitui de um conjunto de valores e normas que regem o comportamento humano em uma sociedade. Esta é muito importante para se manter a ordem nas relações sociais, evitando com que o homem transgrida certos limites e preze pelo bem-estar e respeito ao próximo. Ela é quem julga o certo ou errado, o justo ou injusto nas condutas do dia a dia.

O comportamento sob os ideais éticos certos e justos é bastante importante na sociedade contemporânea embora em várias ocasiões parece ser cada vez mais raro de ser seguido. Dificilmente nos deparamos com alguém que não fura filas ou que ao receber o troco de alguma compra e percebe que foi mais do que o necessário, volta para devolver.

A prática esportiva também se constitui a partir de um conjunto de valores e normas que estão diretamente relacionados com a ética. O esporte é um fenômeno cultural que durante séculos atrai a atenção dos mais diversos tipos de público. Este possui o seu código de ética a ser seguido, utilizando como parâmetro condutas apontadas nos primeiros Jogos Olímpicos, que visavam a prática do esporte de forma a celebrar a paz, conforme cita Binder (2001, p. 14 apud SINGOLI; DE ROSE JUNIOR, 2004, p. 115):

O Ideário Olímpico lançou em 1896 a carta olímpica, que tinha por principais objetivos:

1 Promover o desenvolvimento das qualidades físicas e morais que são a base do esporte;

2 Educar a juventude através do espírito esportivo para um melhor entendimento e amizade entre os povos, ajudado a construir um mundo melhor e mais pacífico;

3 Espalhar os princípios olímpicos pelo mundo, criando amizade internacional.

 

Desde então, a prática esportiva buscou como um dos seus pilares o respeito e confraternização entre os atletas.

Todavia, não é raro que a prática esportiva também esteja vinculada a interesses políticos, econômicos e midiáticos e, com isso, os participantes na maioria das vezes tendem a vencer a qualquer custo. Em algumas situações o atleta até tenta seguir os valores éticos, porém caso perca por isso, muitas das vezes é julgado por seu próprio time ou técnico.

Nesse cenário entram questões como o doping e o fair play, que constantemente entram em discussão por parte da mídia e da justiça esportiva.

O doping é caracterizado como substância, agente ou meio capaz de alterar o desempenho de um atleta em uma competição esportiva. [..] classes farmacológicas que são classificadas como doping: estimulantes psicomotores, aminas simpaticomimétricas, estimulantes do sistema nervoso central, narcóticos-analgésicos e esteróides anabólicos. (ROSE, 1989, p. 88 apud CARDOSO, [2014?], p. 8).

            Os atletas costumam utilizar essas substâncias com o intuito de melhorar seu desempenho e vencer o adversário, porém correm um sério risco à saúde e no pior dos casos, se tornar dependente dessas drogas. Mesmo cientes das consequências, ainda assim, de tempos em tempos, surgem atletas que são flagrados no exame antidoping ou de ex-atletas que divulgam em livros ou entrevistas que já fizeram uso de substâncias ilícitas.  O mais preocupante é quando aparece notícias de mortes de atletas devido ao uso de drogas.

            Um dos atletas que marcaram a história do esporte foi o ex-velocista canadense Ben Johnson que na Olímpiada de Seul, em 1988, foi campeão e ainda quebrou um recorde mundial. Porém, após 48 horas, foi flagrado no exame antidoping por uso de esteroides anabolizantes. Essa foi a primeira vez que o COI (Comitê Olímpico Internacional) retirou uma medalha como punição por uso de substâncias ilícitas. Johnson assumiu em sua biografia que consumia esteroides desde 1981.

            Outro atleta foi o ex-jogador de futebol Diego Maradona, campeão na Copa do Mundo de 1986 da Argentina. Durante uma nova competição em 1994, foi excluído por ter sido pego no exame com cinco substâncias proibidas para o futebol. Isso culminou no fim da sua carreira anos mais tarde.

            Outro que já foi flagrado no exame foi o lutador americano, bicampeão meio-pesado do UFC Jon Jones que tem a carreira marcada por polêmicas nesse assunto. A primeira vez foi pego em 2015 no qual o exame apontou uso de cocaína. No ano seguinte, na semana da disputa, deixou o evento pois o exame detectou as substâncias clomifeno e letrozole. Em 2017, foi campeão por nocaute técnico no UFC, porém, seu resultado foi anulado após um novo flagra com substâncias ilícitas.

            Com isso percebe-se que mesmo cientes dos problemas que essa prática pode acarretar, não apenas na saúde, mas também em suas carreiras esportivas, ainda se vê diversos casos disso. Utilizar meios ilícitos no esporte, desrespeitando as regras e o adversário, visando vencer a qualquer custo, traz à tona uma outra questão, o fair play.

            O fair play, que em tradução significa “jogo limpo”, foi concebido por Pierre de Coubertin, o precursor dos valores do ideal olímpico seguido atualmente. Este é um dos principais temas dentro da ética esportiva pois se constitui não apenas de jogar bem visando vencer, mas fazer isso de forma limpa, com respeito, sem trapaças. Rufino, et al., (2005, p.58) demonstram que este é muito mais abrangente:

O fair play significa muito mais do que o simples respeito às regras; cobre as noções de amizade, de respeito pelo outro, e de espírito esportivo, representa um modo de pensar, e não simplesmente um comportamento. O conceito abrange a problemática da luta contra batota, a arte de usar a astúcia dentro do respeito às regras, o doping, a violência (tanto física quanto verbal), a desigualdade de oportunidades, a comercialização excessiva e a corrupção.

            Criado em 1896, durante as principais Olimpíadas da Era Moderna em Atenas, o Fair Play é uma filosofia adotada em desporto que prima pela ética nos esportes.

            O pai dos Jogos Modernos, Barão de Coubertin, idealizou a filosofia por meio da frase: “Não pode haver jogo sem Fair Play. O principal objetivo da vida não é a vitória, mas a luta.”

          O Fair Play é uma maneira de ser que implica em: honestidade, lealdade e atitude firme e digna diante de um comportamento desleal.

            Pensando em Fair Play, será que se aplica em nossa vida?

         Por exemplo: você dá aquela parada na vaga proibida só por uns minutos? Deixa o carrinho de supermercado atrapalhando a fila até que alguém recolha? Ou pega atestado médico sem necessidade para não trabalhar ou estudar?

            As nossas atitudes muitas vezes nos descrevem em fazer o certo ou ser justos como uma questão de caráter. Um ato, apenas, não classifica um bom jogador, mas já ajuda.

            A escola tem um papel fundamental para que as crianças vivenciem experiências que promovam o entendimento e a apropriação do que é o jogo limpo, pois é o universo mais diversificado em que a criança está inserida. A partir desse conhecimento, podemos nos aprimorar em fazer com que o jogo seja limpo e divertido independente do resultado, buscando resgatar essas condutas éticas, visando melhorar o futuro do esporte e resgatar os princípios pregados há anos atrás.

 

Referências e Bibliografia Consultada

CARDOSO, J. A. O doping no contexto do esporte moderno, da ética e do direito esportivo. [2004?].

RUFINO, J. L [et al.]. O fair play na atualidade. Arquivos em Movimento, Rio de Janeiro, v.1, n.2, p. 57-68, julho/dezembro, 2005. https://revistas.ufrj.br/index.php/am/article/view/9060

SINGOLI, M. A.; DE ROSE JR., D. A história do uso político do esporte. R. bras. Ci e Mov. 2004; 12(2): 111-119.

Jon Jones recebe 15 meses de suspensão por doping e poderá voltar a lutar ainda em 2018. Sportv Globo, 2018. Disponível em: <https://sportv.globo.com/site/combate/noticia/jon-jones-recebe-15-meses-de-suspensao-por-doping-e-podera-voltar-a-lutar-ainda-em-2018.ghtml>. Acesso em: 10 de jun. de 2019.

Escândalos da Copa: Maradona é pego no antidopig em 1994. GQ Globo, 2013. Disponível em: <https://gq.globo.com/amp/Essa-e-nossa/noticia/2013/08/escandalos-da-copa-maradona-e-pego-no-antidoping-em-1994.html>. Acesso em: 10 de jun. de 2019.

Histórico, doping de Bem Johnson que mudou o esporte completa 30 anos. Folha de S. Paulo, 2018. Disponível em:<https://www1.folha.uol.com.br/amp/esporte/2018/09/historico-doping-de-ben-johnson-que-mudou-o-esporte-completa-30-anos.shtml>. Acesso em: 10 de jun. de 2019.

 

Ciência Política → Políticas Públicas Políticas Públicas de Esporte e Lazer → Ética e Espírito Esportivo: a prática esportiva para além do respeito às regras